02 maio 2008

Euroamazon: esta moda vai pegar?

Uma guerra no norte da floresta pode surgir passo-a-passo e temos menos do território do Brasil sendo preservados.
Antigo país das bananas, potência ambiental mundial, precisa avisar o metalúrgico que a coisa é séria, e ele já tá rico o bastante para querer faturar mais ainda com a entrega de uma parte da amazônia para os interesses neoliberais mundiais: bom, como o ogm, milho trans, transposição, aracruz, madeira, etanol Clinton, se depender destes caras, já nos venderam juntos, Orua
Causou estranheza nos meios militares brasileiros, e certa preocupação nos que acompanham os avanços dissimulados das nações mundiais sobre a Amazônia brasileira.
Pela primeira vez, nesses dois últimos meses, tropas holandesas treinam para Guerra na Selva no Suriname, após um acordo entre os governos do Suriname e Holanda, próximo à fronteira como Brasil e sob protestos da população e da mídia local que sempre apresentaram franco antagonismo ao seu ex-colonizador.
Porque mais uma nação européia estaria treinando seus militares para guerra na Amazônia? Sabendo-se que são os militares brasileiros que ministram esse curso de longa data a oficiais do Suriname aqui no Brasil?
Cronograma preocupante de 2000 para cá:
- Tropas britânicas passaram a treinar para guerra na selva na Guiana Inglesa, fazendo incursões noturnas a vilarejos brasileiros na fronteria.
-A França inaugura no quartel da Legião Estrangeira o curso de guerra na selva na Guiana Francesa e envia regularmente suas tropas para lá, além de receber também algumas do Suriname.
- Aumentam em 5 vezes o número de ONGs internacionais no Estado de Roraima, fronteiriço às Guianas acima citadas. São ONGs francesas, dos EUA, Inglaterra, Canadá e holandesas.
- Lula decreta que 42% do Estado de Roraima passa a ser reserva intocável, sem aceitar as orientações do EMFA para preservar uma faixa de exclusão na fronteira com esses países-colônia,garantindo a soberania nacional. Os países acima enviam cumprimentos oficiais ao ato de Lula.
- Lula ordena que se retirem todos os brasileiros não índios da reserva decretada. Detalhe: uma área quase do tamanho de Estado de São Paulo para poucos índios. O Exército brasileiro mostra desagrado com a ordem, que eliminará todos os rizicultores de alta produtividade desse Estado, também riquíssimo em jazidas minerais estratégicas.
-Os EUA propõem a esses países a adoção de um modelo padrão de caminhões militares dos EUA, desenvolvidos para o transporte em condições amazônicas, e envia lotes dos veículos às Guianas Holandesa e Francesa para os testarem e desenvolverem em conjunto o aperfeiçoamento do projeto.
Os números projetados para o envio desses veículos a esses países, são muito superiores às necessidades militares dos mesmos. (Jane's Military Magazine, 11/2007). Para quê?
-Lula veta a solicitação do EMFA para envio de mais tropas militares às fronteiras de Roraima e também para a compra de material militar para defesa na região.
Na mídia européia, há anos se cogita abertamente a possibilidade futura em formar-se uma força de coalizão entre exércitos europeus, chefiada pelos EUA, com o intuito de'salvarem a Amazônia da destruição pelo Brasil', ou 'salvarem o território vasto que é patrimônio de toda a Humanidade', mesmo usando-se para isso de um conflito local entre países sul americanos,como o visto recentemente entre Equador-Colômbia e Venezuela.
Em restaurantes e carros ingleses é comum encontrar-se cartazes e adesivos com as frases: 'Save the Amazon! Burn a brazilian!' (Salve a Amazônia, queime um brasileiro!), ou 'EuroAmazon, the future!'.
Sem paranóia, teorias conspiratórias ou xenofobia alguma, a situação é preocupante e progride sem qualquer atitude por parte do nosso governo federal, que mais parece um sócio nisso tudo.

4 comentários:

posturaativa disse...

que todos possuem interesses na área já sabemos, aquela faixa ficou sem controle (aliás ainda continua sem controle) não creio em nenhum tipo de invasão, se estão fazendo manobras, talvez seja para frear terroristas e traficantes.

Aluizio Amorim disse...

Keikas:
migrei para o blogspot e o nome do meu blog também mudou. Agora é Blog do Aluízio Amorim. Abração!

Airton disse...

Keikas,
Achei o assunto aqui abordado muito
interessante, e não é de hoje que faço comentários a respeito das fronteeiras brasileiras, por isso tomei a liberdade de reproduzir alguns tópicos e "linkar" seu blog no contexto.
Um fraterno abraço do Airton.

Airton disse...

Keikas,

Em janeiro o jornal de uma TV não sei se peruana ou colombiana aborda
o retorno dos Sendero Luminoso que está para o Peru assim como as FARC estão para a Colômbia.
Quem tem interesses em levantar esse grupo terrorista, quem está por trás
e com que propósito? E o nosso Brasil com Lulla presidente e nossas fronteiras aparentemente desprotegidas?
Confira.